Saturday, January 24, 2009

Noroeste Ecovila... Viva a Natureza?

.
Mais um empreendimento imobiliário em Brasília. Sim, a capital está repleta deles. Esse vai ser chiquérrimo. Quem vai morar lá é só granfino. E tem mais essa: seguindo a última tendência do "mercado", a ordem agora é salvar o planeta e vivermos em harmonia.

Por essa razão, os chiquérrimos do Noroeste vão morar no primeiro "bairro ecológico" do Brasil. Construções sustentáveis, ecologicamente corretas, muito verde e Viva a Natureza. Tudo construído de acordo com as últimas tendências desse papo de reciclagem e tudo o mais...

Claro! Muita grana rolando, altos faturamentos... Será o metro quadrado mais caro numa cidade onde um apartamento facilmente custa centenas de milhares de reais. Um dos mais caros do Brasil.

O que ficou faltando foi isto: reciclar a alma porca, imunda e vendida pro "Capeta-lismo"...

O primeiro bairro (olha só que chique...): ecológico do Brasil... nasceu depois que os índios foram dali expulsos... Poxa, vida. Bando de vagabundos que não trabalham, não é mesmo? E claro... Não vender a alma pro diabo capitalista, certamente é anti-ecológico!

Trata-se de um paradoxo tão monstruosamente escroto! (peço desculpas ao leitor pela clareza da expressão), muito pior na sua essência do que paradoxos do tipo "guerra santa" ou "guerrear pela paz". Trata-se de destruir o povo cuja cultura é a própria definição de sustentabilidade, para fundar um bairro hipocritamente ecológico em prol da vaidade dos chiquérrimos e dos interesses dos exorbitantes lucros imobiliários! Destruindo os índios e substituindo - os por arbustos lindamente podados no lugar.

No Brasil, essa putaria acontece quotidianamente com moradores de favelas e, agora, descubro que também com os índios que, afinal, na nossa linguagem fascista são todos vagabundos, gente feia, nojenta, indignas de freqüentar um shopping center fino (e quem sabe, ecologicamente correto).


Viva o Verde Hipócrita! Viva o Verde Podre!
De alma corroída...

Viva a Publicidade que elege prefeitos e governos! Viva a Publicidade oca! Palhaço de farinha colorida, paçoca desnutrida vendida em prateleiras caras para pessoas mui finas.

Certa vez, andando pela USP, vi a capa de um livro a venda no curso de Publicidade. O título era assim:


"A Publicidade é um Cadáver que nos sorri"




Textos na Internet sobre esse assunto:

http://www.amcham.com.br/update/2008/update2008-08-04a_dtml
http://www.noroesteimoveis.com/

1 comment:

Jacque said...

Henrique, fico indignada com o que acabo de ler... Meu ♥ caboclo chora... Mas, infelizmente, as pessoas acham que os índios são apenas um agrupamento de um povo historicamente insólito, para diversão contemplatória e só. No dia em que eles acabarem de vez com os poucos que sobraram, aí sim, estarão satisfeitos. Cabe a nós, simpatizantes, fazer com que eles vivam sempre, ao menos em nossos corações...
Beijocas, Jacque.♥
jacquelinegorkaia.blogspot.com